-------- PUBLICIDADE --------
21 de julho de 2024
Cidades

Prestador de serviços da Prefeitura de Pindaí desafia opositores com apostas de até R$100 mil

Um prestador de serviços temporários da Prefeitura de Pindaí, sudoeste da Bahia, tem causado polêmica no município ao aparecer nas redes sociais desafiando opositores com apostas de altos valores. Osmildo Souza Carvalho tem um contrato de R$ 1.900 mil mensais com o Executivo municipal.

No primeiro vídeo de 38 segundos Osmildo aparece deitado em cima de uma mesa de sinuca, com cédulas de R$ 100 e 50 reais. “Ô meu Deus do céu, que vida. Cadê essa Touro. Ei, 70, se tiver coragem. Tô aqui no bar de Priquitão”, comenta Osmildo.

No segundo vídeo, que chegou a este Política Livre, o apostador desafia outros opositores. Ele disse que são R$100 mil ali expostos, além de afirmar que com o valor pode “forrar a mesa”. O funcionário temporário ainda recebe orientação de uma segunda pessoa que não aparece no vídeo. “Ô 11 bom”, diz ele.

Além de prestador de serviço, Osmildo é aliado do prefeito João Veiga (PP), pré-candidato à reeleição. As postagens geram polêmica porque apostado é muito superior à renda mensal e não há informação de que tenha fonte alternativa de sustento. O salário do Osmildo consta no Portal da Transparência.

Além do pré-candidato João Veiga, Ionaldo Aurélio Prates, conhecido como Naná (Avante), também é pré-candidato a prefeito em Pindaí.


19 de julho de 2024
Bahia

Pesquisa mostra que vinda de Lula teve efeito zero sobre candidatura de Geraldo Jr. em Salvador

Por Raul Monteiro

Não é difícil deduzir porque, segundo línguas ferinas do PT e de partidos aliados ao governo do Estado, a pesquisa Paraná sobre a sucessão municipal divulgada na última segunda-feira levou amargura aos responsáveis pela campanha de Geraldo Jr. (MDB) à Prefeitura de Salvador.

Os números não mostram apenas a consolidação da candidatura à reeleição do prefeito Bruno Reis (União Brasil), com perspectiva concreta de vitória folgada no primeiro turno. Revelam, na verdade, que o efeito da passagem do presidente Lula por Salvador, na festa do 2 de Julho, desta vez programada com o objetivo estrito de fortalecer o emedebista, foi simplesmente nulo.

Exatamente isso! Montado pelo senador petista Jaques Wagner, coproprietário da candidatura de Geraldo Jr. junto com o ex-ministro Geddel Vieira Lima, que comanda o MDB, o palanque com Lula cujo objetivo era impulsionar o vice-governador do Estado como nome do presidente, do governo e da esquerda em Salvador acabou dando, na verdade, um verdadeiro chabu.

Afinal, quem acabou crescendo de junho, antes da vinda de Lula à Bahia, para cá foi o prefeito de Salvador – de 64% para 67,6% nas intenções de votos dos soteropolitanos. Seu governo, aliás, segundo o mesmo levantamento, é aprovado por 75,3% dos entrevistados.

Mas o mais desesperador para o time de marketing que acompanha Geraldo Jr. foi perceber que, se Lula não conseguiu ajudar o emedebista a crescer nas intenções de voto, que oscilou de 11%, em junho, para 12,5%, no levantamento atual, sequer também pode colaborar para reduzir seu índice de rejeição, da ordem de 37,1%, o mais alto entre todos os candidatos.

O número surpreende para alguém que nunca assumiu um cargo executivo, além da presidência da Câmara de Salvador. Seu maior modelo de comparação pode ser o próprio Bruno que, depois de anos como secretário de ACM Neto (União Brasil), quatro deles como prefeito, registra 17,9%, o menor entre os postulantes.

Capaz de levar um quadro político ao divã, com inúmeros questionamentos existenciais, o percentual impactante da rejeição a Geraldo ele deve ter elementos para poder explicar a si próprio, sem censura, diante do espelho. As razões para que seu nome não consiga ser impulsionado pelo esforço lulista, apesar da gesto da mão estendida pelo demiurgo do PT, no entanto, encontram explicações várias não só entre políticos, como entre marqueteiros e analistas. Apontada como a principal delas, está a falta evidente de liga, porque falsa, da tentativa de associação entre seu nome e o do presidente da República e a esquerda.

Sob o signo do diferença do joio em relação ao trigo, não há investida neste sentido, visando vincular um ao outro, que prospere. Se persistirem nesta batida, por falta de outros argumentos para atrair o voto para o emedebista, seus marqueteiros darão com os burros n´água.

Afinal, a estratégia despreza a identidade do candidato, cuja trajetória não encontra um ponto sequer de conexão com o campo político em que se encontra hoje. Geraldo Jr. forjou-se no grupo do ex-prefeito ACM Neto e de Bruno até o acordo repentino que o colocou como vice do candidato a governador Jerônimo Rodrigues (PT), processo do qual emergiu, ao mesmo tempo, como um vitorioso e um traidor.


19 de julho de 2024
Brasil

Geração de energia no Brasil tem expansão recorde de 18,7%

Foto Sudoeste Acontece

Com 168 novas usinas de geração de energia em funcionamento, o Brasil fechou o primeiro semestre de 2024 com um incremento de 5,7 gigawatts (GW) de potência instalada na matriz elétrica. O número representa um aumento de 18,7% em relação ao primeiro semestre de 2023 e um recorde nos últimos 27 anos para o período.

Apenas em junho deste ano, houve um incremento de 889,51 megawatts (MW) com a entrada em operação de 27 usinas, sendo 13 eólicas, 10 fotovoltaicas e quatro termelétricas. A matriz elétrica é o conjunto de fontes disponíveis para a geração de energia elétrica em um país, como hidrelétricas, usinas eólicas, solares e termelétricas.

Segundo a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), a previsão de crescimento da geração de energia elétrica do país para 2024 é de 10,1 GW, menor que a do ano passado, quando houve crescimento de 10,3 GW. Atualmente, a capacidade instalada de energia elétrica do Brasil, ou seja, a quantidade máxima de produção de energia do país, soma 203,8 gigawatts. Desse total em operação, 84,62% das usinas são consideradas renováveis.

As quatro maiores fontes renováveis que compõem a matriz de energia elétrica brasileira são a hídrica (53,88%), eólica (15,22%), biomassa (8,31%) e solar (7,2%). Entre as fontes não renováveis, as maiores são gás natural (8,78%), petróleo (3,92%) e carvão mineral (1,7%).


19 de julho de 2024
Bahia

Apesar de a Bahia ser o estado mais violento do País, Lídice elogia governo Jerônimo

Foto Sudoeste Acontece

Aliada do governador Jerônimo Rodrigues (PT), a deputada federal Lídice da Mata (PSB), em entrevista ao bahia.ba nesta quinta-feira (18), minimizou o fato de a Bahia ser o estado brasileiro com maior número de mortes violentas intencionais pelo terceiro ano consecutivo. De acordo com 18º Anuário Brasileiro de Segurança Pública, foram 6.578 óbitos desse tipo contabilizados em 2023, primeiro ano de gestão de Jerônimo.

A deputada baiana, por outro lado, destaca números da SSP que apontam redução nos índices de violência. “O governo do Estado, por meio da Secretaria da Segurança Pública (SSP-BA), tem desenvolvido um trabalho de inteligência policial para poder enfrentar o crime organizado e o resultado dos primeiros seis meses deste ano evidenciam isso. Neste primeiro semestre de 2024, a Bahia reduziu em 13% o índice de homicídios”, afirma Lídice da Mata.

A socialista também argumenta que o combate à violência depende de um conjunto de ações em outras áreas, como educação. “O combate à violência se dá com ações de segurança, mas também com educação, geração de emprego e renda e outros fatores. A criminalidade está diretamente ligada à pobreza, e combatê-la é também ir contra a criminalidade.”

Lídice da Mata diz ainda que busca contribuir com a segurança pública no exercício de seu mandato na Câmara dos Deputados, em Brasília. “Como parlamentar, temos buscado ajudar o governo com a liberação de emendas de bancada para a segurança pública, temos discutido o assunto na comissão ligada ao tema, e buscamos fazer com que esse tema seja debatido por todas as instâncias de poder.”


19 de julho de 2024
Brasil

Fluxo de memes com Haddad indica que movimento ‘Taxadd’ é espontâneo

Os memes sobre o ministro Fernando Haddad (Fazenda) não surgiram de repente, mas cresceram organicamente até se espalharem pelas redes sociais e aplicativos de mensagem, conforme análises feitas para a Folha por empresas de monitoramento.

Dados da plataforma Buzzmonitor indicam menções à expressão “Taxadd”, como o chefe da equipe econômica vem sendo chamado, ao longo de todo o ano. A grafia “Taxad” também é utilizada.

Logo no primeiro dia de 2024, um usuário do X criticou a “sanha arrecadatória do Lula e seu vassalo Taxadd” em resposta a um post oficial do governo sobre o reajuste do salário mínimo. Entre 1º e 7 de janeiro, a expressão foi usada 339 vezes na rede social.

Poucos dias antes, Haddad havia anunciado um pacote de medidas para evitar perda de arrecadação e reforçar o caixa da União, incluindo a reoneração gradual da folha de pagamentos e o fim do Perse (Programa Emergencial de Retomada do Setor de Eventos), do qual teve que recuar após pressão do Congresso e empresários.

O uso do apelido do ministro se manteve em níveis baixos, com um máximo de 833 menções em meados de maio, até começar a crescer na semana passada e atingir 895. “São depoimentos de pessoas claramente alinhadas à direita, mas não de bots ou perfis com investimento de mídia”, diz Breno Soutto, head de insights do Grupo Elife, responsável pela plataforma.

No WhatsApp, a situação era semelhante. Nos últimos meses, a expressão “Taxadd” aparecia em grupos públicos monitorados pela empresa Palver, mas sem relevância significativa.

Isso mudou na segunda-feira (15). Naquele dia, Haddad foi chamado de “Taxadd” 3.294 vezes na rede de Elon Musk, com memes como “Taxando Pobre Adoidado” e “Taxamento às Cegas Brasil”.

Uma possível razão para a insatisfação poderia ser a proximidade da “taxa das blusinhas”, que afetará compras de até US$ 50 em sites internacionais a partir de 1º de agosto.

Para Soutto, o gatilho para a explosão foi a publicação, no X, onde o secretário de Comunicação do PT, Jilmar Tatto, disse que o apelido “não vai pegar” e que Haddad será conhecido por reduzir impostos.

Na terça (16), as menções subiram para 15.012, um salto de 355%. No WhatsApp, o rosto do ministro apareceu 58 vezes a cada 100 mil mensagens em grupos públicos (a taxa era de 5 na véspera).

Embora o aumento sugira uma ação coordenada, Soutto argumenta que os dados indicam o contrário. “Os perfis que publicaram os memes abordam temas diversos e existem há bastante tempo, o que não costuma ocorrer com bots”, afirma.

Foto: Reprodução/ Redes Sociais

Luis Fakhouri, diretor de estratégia da Palver e colunista da Folha, concorda: “As pessoas gostaram da piada, houve a participação de alguns perfis da direita e isso deu popularidade ao tema.”

Um indício de que a ação foi espontânea é que o movimento não se repetiu no Telegram, segundo Fakhouri.

Na terça, o meme ultrapassou o mundo virtual: Haddad apareceu como “Taxa Humana”, uma referência ao personagem Tocha Humana do Quarteto Fantástico, em um outdoor na Times Square, Nova York. Hugo Montan, 19, afirmou ter pago R$ 255 pelo anúncio, incluindo 4,38% de IOF. Montan, que já foi analista de criptomoedas e agora estuda para prestar vestibular para economia, diz que seu objetivo foi criticar a estratégia do governo de equilibrar as contas públicas principalmente por meio da arrecadação.

“Minha crítica é ao governo. A gente vê o Lula mais confiante, orgulhoso, de tomar decisões no campo da economia do que nos primeiros mandatos. Haddad acaba ficando de fiador disso”, afirmou Montan.

Em meio à enxurrada de memes, o vice-presidente Geraldo Alckmin (PSDB) defendeu o ministro: “Se pegarmos a carga tributária de 2022 para 2023, ela não aumentou, até que caiu um pouquinho.”

Nesta quarta-feira, o volume de publicações caiu para 4.908 (até as 17h) no X. Apesar de algumas exceções, a maioria das publicações eram replicações de piadas já existentes. Do total, 74,7% dos posts que usaram o termo neste ano eram retuítes sem acréscimo de conteúdo.

“Essa característica de replicação rápida, interesse de curta duração e humor consolida ‘Taxadd’ no território dos memes. Ainda que o boca a boca morra, o apelido deve seguir associado ao ministro por um bom tempo”, diz Soutto.

No WhatsApp, o rosto do ministro da Fazenda ainda aparecia em 80 de cada 100 mil mensagens em grupos nesta quarta-feira.

Para João Victor Archegas, coordenador do Instituto de Tecnologia e Sociedade do Rio de Janeiro, é difícil prever o impacto da brincadeira no futuro do ministro. Ele afirma que esses “microatos políticos” (memes, likes, posts) podem se somar de forma imprevisível.

“Quando você vê, está diante de um movimento político que tem potencial de desestabilizar o partido, desestabilizar o governo, desestabilizar a própria imagem do Haddad nesse caso”, afirma ele.


19 de julho de 2024
Bahia

Bahia tem seis cidades entre as dez mais violentas do país, aponta anuário de segurança pública

Santana, município do Amapá, ocupava a 31ª posição na lista de cidades brasileiras (acima de 100 mil habitantes) mais violentas em 2022, segundo o Anuário Brasileiro de Segurança Pública divulgado pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública nesta quinta (18). No ano passado, porém, ela assumiu a ponta, deixando os municípios baianos para trás.

A cidade amapaense passou de 49,4 mortes por 100 mil habitantes para 92,9, um crescimento de 88,2% em um ano, segundo a versão 2023 do anuário, divulgado nesta quinta-feira (18). A capital Macapá também aparece na lista, em nono, com a taxa de 71,3 mortes violentas.

A Bahia continua como o estado com mais cidades violentas nesse relatório, com seis entre as dez. Mas a boa notícia é que duas delas, Jequié e Simões Filho, tiveram queda no número de homicídios.

Jequié liderava a lista em 2022 e Simões Filho era a terceira, mas no anuário atual, elas estão em terceiro e quinto, respectivamente.

A lista foi feita a partir da categoria Mortes Violentas Intencionais (MVI), que corresponde à soma das vítimas de homicídio doloso, latrocínio, lesão corporal seguida de morte e mortes decorrentes de intervenções policiais em serviço e fora (em alguns casos, contabilizadas dentro dos homicídios dolosos).

Desta forma, a categoria MVI representa o total de vítimas de mortes violentas com intencionalidade definida de determinado território.


19 de julho de 2024
Justiça

Conversas divulgadas pela PF expõe participação de capitão da PM em esquema com facções

Conversas em aplicativos de mensagens revelam a participação de um capitão da Polícia Militar em um esquema de compra e venda de armas para facções criminosas, de acordo com uma investigação conjunta da Polícia Federal e do Ministério Público Estadual (MP-BA). O PM, preso em maio, nega as acusações. A informação foi divulgada pela TV Bahia.

O suspeito é ex-comandante da 41ª Companhia Independente da Polícia Militar (CIPM/Federação). Além dele, outras 19 pessoas foram presas em maio na Operação Fogo Amigo. O PM chegou a ser escolhido como “policial militar padrão do ano 2023” pelos serviços prestados. Nas redes sociais, ele exibia viagens para fora do país.

As investigações indicam que o PM fazia parte de um grupo criminoso que comprava e vendia armas para facções na Bahia. O grupo incluía ainda outros oito PMs da Bahia e um ex-PM.

A quebra de sigilo telefônico dos envolvidos permitiu interceptar mensagens mostrando conversas do suspeito com outro policial militar, também acusado de fazer parte do esquema. As conversas em 2023 revelaram uma negociação por munições entre os dois. Posteriormente, houve uma negociação por uma arma de fogo. A defesa alega que as compras eram para uso pessoal.

Os investigadores, no entanto, afirmam que ele era um “contumaz negociador” e que a frequência das transações indicava que eram para comercialização. Entre 2021 e 2023, o esquema teria movimentado quase R$ 10 milhões. A investigação aponta também que as armas e munições eram destinadas a criminosos de facção atuantes no Calabar, em Salvador, com traficantes de drogas intermediando as negociações.

A TV Bahia teve acesso a um documento sigiloso que mostra que o capitão transferiu mais de R$ 67 mil para o PM de 18 de fevereiro de 2021 a 13 de fevereiro de 2022.

O capitão também responde por homicídio ocorrido quando comandava uma equipe da PM em Santa Cruz Cabrália, em 2013. Além disso, ele é alvo de um processo disciplinar por compra e venda de uma pistola 380 em 2017.

Mandados de prisão preventiva e busca e apreensão foram cumpridos na casa dele, na Graça, e na Academia da Polícia Militar, na Boa Viagem. Na residência do PM, foi encontrada uma pistola sem registro. Ele alegou que a arma foi comprada de um policial civil e seria de outra agente, mas não soube informar quem seria ela. O policial acabou preso em flagrante.


19 de julho de 2024
Internacional

Apagão cibernético afeta voos, bancos, TVs e até hospitais em diversos países

Um apagão cibernético afeta setores importantes em diversos países, nesta sexta-feira (19), desde vôos, passando por bancos e até hospitais. Ainda não há relatos de problemas no Brasil.

Conforme o portal Metrópoles, a imprensa internacional noticiaram que as informações preliminares apontam que o problema afeta prioritariamente os usuários da Microsoft.

De acordo com a agência de notícias alemã Deutsche Welle, desde a noite de quinta-feira (18), o Downdetector – site que monitora distúrbios técnicos – foram registrados picos repentinos de insistentes em páginas que utilizam aplicativos da Microsoft.

Os indícios apontam que o apagão está relacionado a um problema global na empresa de segurança cibernética CrowdStrike, que confirmou estar ciente de falhas no sistema operacional Windows no sensor “Falcon”.

Há registros de problemas em países como Austrália, Estados Unidos, Holanda, Panamá, Reino Unido, Alemanha, África do Sul e Índia.

Segundo informou a rede de TV americana ABC, o apagão provocou a suspensão de voos American Airlines, United e Delta.

No Reino Unido, foram prejudicados serviços ferroviários e de telecomunicações, além da bolsa de valores. No local, até o canal Sky News ficou fora do ar por dificuldades em realizar transmissões ao vivo.

Na Austrália, por sua vez, a autoridade nacional de cibersegurança anunciou que várias empresas foram afetadas por um “apagão técnico em larga escala”. Bancos e serviços de mídia foram afetados no país. Na Nova Zelândia, o problema também atingiu o sistema bancário, assim como na África do Sul. Na Alemanha, cirurgias eletivas chegaram a ser canceladas em dois hospitais.

Em Hong Kong, a autoridade aeroportuária informou que as companhias aéreas passaram a adotar o check-in manual para driblar os problemas no sistema. A alternativa fez com que os voos não fossem afetados pelo apagão.

A Autoridade Aeroportuária de Hong Kong informou que as companhias aéreas mudaram o procedimento de check-in para manual e que voos não foram afetados.


19 de julho de 2024
Internacional

Maduro alerta para ‘banho de sangue’ na Venezuela caso não vença eleições

O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, afirmou em um comício na última quarta-feira (17) que o país pode enfrentar um “banho de sangue” e uma “guerra civil” caso ele não seja reeleito nas eleições marcadas para o próximo dia 28 de julho.

“O destino da Venezuela no século 21 depende de nossa vitória em 28 de julho. Se não quiserem que a Venezuela caia em um banho de sangue, em uma guerra civil fratricida, produto dos fascistas, garantamos o maior êxito, a maior vitória da história eleitoral do nosso povo.”

Maduro fez essa declaração durante um ato público em Parroquia de la Vega, um distrito popular na Zona Oeste de Caracas. “Quanto mais contundente for a vitória, mais garantias de paz vamos ter”, disse ele no mesmo discurso.

María Corina Machado, principal opositora de Maduro, denunciou nesta quinta-feira (18) um atentado contra ela e sua equipe. “Vandalizaram nossos carros e cortaram a mangueira dos freios”, afirmou Machado. Favorita nas pesquisas, ela foi impedida em janeiro de concorrer à eleição.

A Venezuela realizará eleições em 28 de julho, sob a desconfiança da comunidade internacional quanto à garantia de votações livres e democráticas pelo regime de Nicolás Maduro — o que contradiz um compromisso formal assinado em outubro de 2023.

Seu principal concorrente, escolhido a partir de uma coalizão de partidos opositores, é o ex-diplomata Edmundo González.

Maduro concorre ao terceiro mandato consecutivo — o primeiro foi em 2013. González foi anunciado pela Plataforma Democrática Unitária (PUD) após Corina Yoris ter sido impedida de concorrer às eleições presidenciais. Em março, a PUD declarou que o “acesso ao sistema de inscrição” da candidata não tinha sido permitido.

Anteriormente, a opositora María Corina Machado, uma das favoritas para desbancar Maduro, foi afastada da corrida eleitoral pelo Supremo Tribunal de Justiça, alinhado ao governo chavista.

Em outubro, o governo Maduro e a oposição assinaram o Acordo de Barbados, que previa eleições democráticas na Venezuela.

O governo do Brasil manifestou apoio a Yoris, afirmando que não havia motivos para barrar sua candidatura. O regime de Maduro reagiu dizendo que a nota brasileira parecia ter sido “ditada pelo Departamento de Estado dos Estados Unidos”.

Além do Brasil, ao menos 11 países expressaram preocupação com as eleições (Estados Unidos, Argentina, Colômbia, Chile, Equador, Costa Rica, Guatemala, Paraguai, Peru, República Dominicana e Uruguai).


18 de julho de 2024
Cidades

Aposentado morre eletrocutado em Guanambi

Oldemar Alves Nogueira, 69 anos, agente comunitário de saúde aposentado, morreu eletrocutado na terça-feira (16), no Distrito de Mutãs, em Guanambi, no sudoeste da Bahia. Oldemar sofreu a descarga elétrica no por volta de 16h40.

O radialista Bonny Silva, da Rádio Cultura FM 94,7, disse que Dedé, como era conhecido, manuseando uma bomba d’agua em uma lagoa, nos fundos da propriedade, quando sofreu a descarga, na Fazenda Caldeirão de Arthur.

O Departamento de Polícia Técnica (DPT) realizou a perícia no local. O corpo de Oldemar foi encaminhado para o Instituto Médico Legal (IML) em Guanambi para ser necropsiado. O sepultamento será às 17h.


18 de julho de 2024
Cidades

Eleição 2024: Rodrigo Boa Sorte desiste de pré-candidatura à Prefeitura de Guanambi

O empresário Rodrigo Boa Sorte (PSD) retirou a pré-candidatura dele à Prefeitura de Guanambi, na região sudoeste da Bahia. O anúncio foi feito na noite de quarta-feira (17), pelas suas redes sociais. Em um vídeo, o empresário diz que optou por desistir de concorrer ao cargo de prefeito, após ser indicado pelo PSD.

O Portal Folha do Vale está nos Canais do WhatsApp; veja como participar. Pelo nosso canal você recebe notícias atualizadas de hora em hora.

Boa Sorte substituiu o deputado federal Charles Fernandes na disputa e tinha o apoio da deputada estadual Ivana Bastos. Em pouco mais de 2 minutos de pronunciamento, Boa Sorte disse que buscou apoio nos últimos meses, mas entende que não tem recebido o real apoio e não é a escolha de alguns do seu partido.

“Aceito essa realidade com a cabeça erguida, sou um homem de bom senso. O PSD saberá tomar o melhor posicionamento para as eleições desse ano”, disse Rodrigo.

Agora ex-pré-candidato a prefeito, agradeceu o apoio recebido da deputada Ivana Bastos (PSD), bem como dos pré-candidatos a vereador e, em especial, sua equipe, esposa e filhos. Ele disse que retira seu nome com a mesma tranquilidade que colocou à disposição da população guanambiense.

Durante seu pronunciamento, Boa Sorte não cita o deputado federal Charles Fernandes (PSD). Na condição de anonimato, um pré-candidato a vereador do PSD informou que Boa Sorte se viu abandonado pelo deputado, além disso, lembrou da falta de apoio do deputado ao então candidato à reeleição em 2020, Jairo Magalhães.

Em abril, o Partido Social Democrático anunciou Rodrigo Boa Sorte, como pré-candidato. Na época, Charles Fernandes não compareceu ao lançamento da pré-candidatura de Rodrigo.

Com a desistência de Rodrigo, estão na disputa Rui Azevedo (PT) e Nal Azevedo (Avante), prefeito e pré-candidato à reeleição.

Leia íntegra do Comunicado:

Continue lendo…


18 de julho de 2024
Bahia

Shopee seleciona para vagas de emprego na Bahia, Minas Gerais, São Paulo e outros estados

A Shopee, empresa de comércio eletrônico singapurense pertencente à Sea Group, está com oferta de centenas de vagas de emprego no Brasil. O total de 329 anúncios de seleção estão distribuídos nos estados de Alagoas, Bahia, Espírito Santo, Goiás, Maranhão, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Paraíba, Paraná, Pernambuco, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e São Paulo, além do Distrito Federal.

No estado da Bahia, a empresa asiática contempla oportunidades nos municípios de Alagoinhas, Barreiras, Feira de Santana, Itabuna, Lauro de Freitas, Salvador, Santo Antônio de Jesus e Teixeira de Freitas.

Para se candidatar em uma vaga, os interessados devem acessar o anúncio oficial, disponível no portal de carreiras da Shopee, onde também terão acesso a mais informações sobre cada oportunidade de emprego.