-------- PUBLICIDADE --------
29 de maio de 2024
Bahia

ALBA aprova reajuste de 4% para servidores estaduais

O projeto de lei que versa sobre o reajuste geral de 4% dos servidores públicos do Estado da Bahia foi aprovado durante sessão na Assembleia Legislativa (Alba), nesta terça-feira (28).

O clima durante a votação foi de tensão. Servidores foram proibidos de assistir à votação na galeria da Alba por determinação do presidente da Casa, Adolfo Menezes (PSD), e realizaram protestos em frente ao prédio da Assembleia.

A categoria alega que teve uma perda salarial de 35% nos últimos oito anos, conforme o estudo do Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Econômicos (Dieese).

“O governo não aprova os 10% porque não quer, não tem vontade política, está pouco se lixando para os servidores. Servidores, abram o olho. Todo ano é isso aí. Minha posição é contrária a esse reajuste vagabundo”, disse o deputado estadual Diego Castro (PL).


28 de maio de 2024
Cidades

‘Jerônimo insiste em um modelo falido’, diz Neto após mortes na fila da regulação


O vice-presidente do União Brasil, ACM Neto, criticou o sistema de saúde pública do governador da Bahia, Jerônimo Rodrigues (PT), destacando um cenário alarmante de mortes na fila da regulação, principalmente em Feira de Santana, no centro norte baiano. Nesse período do atual governo, 374 pessoas morreram aguardando atendimento médico na cidade.

Neto destacou o caso de uma senhora de 67 anos em Ipirá, que esperou sete dias por um internamento e não foi regulada a tempo. “Esse é o drama vivido por diversas famílias do nosso estado”, lamentou.

O ex-prefeito de Salvador apontou para a precariedade das regiões sem hospitais regionais, denominando-as de “buracos assistenciais”, onde os pacientes enfrentam longas esperas para conseguir internamento e muitos acabam não recebendo atendimento, principalmente no interior. Ele também lembrou a promessa feita por Jerônimo Rodrigues em 2022 de zerar a fila da regulação, o que não se concretizou.

“O problema só se aprofundou ao longo de 18 anos de governos do PT. Insistem nesse modelo que tem dado errado. Regulação falida”, criticou o vice-presidente do União Brasil. Ele questionou até quando o estado continuará com um modelo de regulação ineficaz, destacando que há bons exemplos de estados onde a fila anda e o atendimento é eficaz, graças à qualificação do pessoal. “Temos bons exemplos de estados onde a fila anda. Até quando vamos ter um modelo de regulação que não funciona?”, questionou.


26 de maio de 2024
Cidades

Mulher tem surto psicótico e invade UPA de moto em Guanambi

Uma mulher, de 52 anos, invadiu uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA) na cidade de Guanambi, no sudoeste da Bahia, após sofrer um surto psicótico. A Polícia Militar, através do 17º Batalhão de Polícia Militar (BPM) foi acionada para atender a ocorrência que aconteceu na última quinta-feira (23). As informações são do portal Achei Sudoeste.

A mulher, que é paciente do Centro de Atenção Psicossocial (CAPS), chegou ao local pilotando uma moto de cor branca. Ela recebeu atendimento médico e ficou sob os cuidados da filha.

Por meio de nota, a prefeitura de Guanambi informou que a mulher já teria procurado a unidade de saúde anteriormente, em duas ocasiões, sem demonstrar comportamento agressivo ou queixas em relação ao atendimento recebido. Ainda de acordo com a nota, após o incidente, a invasora foi contida pela segurança da unidade e, em seguida, recebeu assistência médica.


18 de maio de 2024
Brasil

País chega a 2.715 mortes por dengue e 4,8 milhões casos prováveis da doença

Os casos de dengue seguem em crescimento. O Brasil atingiu 2.715 mortes confirmadas em 2024 e um total de 4.890.542 casos prováveis da doença. Os dados são do Painel de Monitoramento de Arboviroses do Ministério da Saúde desta sexta-feira (17).

Em relação aos casos confirmados, já são 3.079.043. As regiões Sul e Sudeste totalizam 72% de casos graves e 74,6% de mortes por dengue, em 2024. Nos estados do Sudeste, foram registrados 26.086 casos graves e 1.360 mortes. No Sul, de 13.909 e 666, respectivamente. Proporcionalmente à população, o Distrito Federal, Minas Gerais e Paraná apresentam as maiores taxas, sendo 8.915, 6.803 e 4.445 por 100 mil habitantes. No estado de São Paulo, de 2.933.

Em números absolutos, São Paulo (12.050), Minas Gerais (8.754) e Paraná (7.486) lideram a quantidade de casos graves. Em número de óbitos, São Paulo (717) e Minas Gerais (464) também aparecem com o maior quantitativo. Em seguida, vem o Distrito Federal, que registrou 342 mortes, e o Paraná, com 335. Nos últimos 24 anos, esses números representam os mais elevados já registrados pelo Ministério da Saúde.

Os números de dengue podem aumentar nas próximas semanas no Rio Grande do Sul devido às enchentes que atingem o estado há duas semanas. A situação já contabiliza 154.736 casos prováveis e 143 mortes na região.

O quadro de dengue pode se intensificar após a água acumulada nas ruas das cidades baixar e se concentrar em determinadas áreas. O mosquito Aedes aegypti, transmissor do vírus, deposita seus ovos em água parada, que eclodem em condições de alta temperatura.

Sintomas e como evitar – Entre os sintomas que devem devem acender um alerta estão febre, dor de cabeça e dor muscular, além de dor abdominal intensa e contínua, vômitos persistentes, sangramento de mucosas, queda de pressão arterial, aumento do tamanho do fígado, letargia ou irritabilidade, acúmulo de líquidos em cavidades corporais (ascite, derrame pleural, derrame pericárdico), aumento progressivo do hematócrito e hipotensão postural (tontura ao levantar). Especialistas reforçam medidas simples para evitar a contaminação, como cobrir caixas d’água, limpar recipientes de água de animais de estimação e vedar ralos e pias


17 de maio de 2024
Bahia

Hospital Aristides Maltez adia cirurgias por falta de médicos anestesistas

O Hospital Aristides Maltez, em Salvador, nesta quinta-feira (16), confirmou que rescindiu o contrato com uma cooperativa de anestesiologistas, resultando na redução do quadro de médicos na unidade. Esta confirmação veio em resposta às reclamações dos pacientes sobre a falta de especialistas e o adiamento de cirurgias no hospital.

A administração do HAM também declarou que está trabalhando para normalizar a situação, já tendo contratado novos anestesistas, e que 70% dos procedimentos cirúrgicos programados foram concluídos. Em abril, o hospital registrou 465 cirurgias.

Por outro lado, houve relatos de pacientes sobre a escassez de materiais básicos para o atendimento hospitalar, no entanto, a assessoria do hospital negou essas acusações.

O hospital especificou que a cooperativa envolvida no contrato rescindido é a GAZA, mas não foram encontradas informações de contato sobre ela. A Cooperativa dos Médicos Anestesiologistas da Bahia (Coopanest), quando contatada, explicou que sua atuação se limita à saúde suplementar em clínicas e hospitais privados há alguns anos, não tendo qualquer relação com hospitais públicos como o HAM. A Coopanest expressou preocupação com a situação.


13 de maio de 2024
Brasil

Jovem morre em UPA na Bahia com suposto diagnóstico que preocupa a Sesab


Uma jovem de 21 anos morreu na tarde de sexta-feira (10), na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da cidade de Capim Grosso, no centro-norte do estado. A suspeita é de que a paciente, identificada como Ana Lídia Oliveira de Andrade, tenha falecido por complicações causadas pela dengue hemorrágica.

A jovem era estagiária da Secretaria de Educação de Capim Grosso. A prefeitura emitiu uma nota lamentando a partida precoce de Ana Lídia.

“Ana Lidia era estagiária do quadro da Secretária de Educação e prestava serviços com dedicação e de forma exemplar”, diz trecho do comunicado.

Um dia antes da morte da jovem, a Secretaria de Saúde do Estado da Bahia (Sesab) havia divulgado que, no estado, 64 pessoas tinham morrido por dengue. A penúltima morte foi registrada na cidade de Serrinha, na região nordeste do estado.

O aumento considerável de casos de dengue no estado tem preocupado as autoridades de saúde que fazem campanhas de conscientização para que a população contribua no combate a possíveis focos do aedes aegypti.


11 de maio de 2024
Brasil

Brasil ultrapassa 2.400 mortes por dengue e mais de 4,5 milhões de casos prováveis

Folhapress

O Brasil já tem 2.451 mortes confirmadas por dengue em 2024 e um total de 4.603.825 casos prováveis de dengue, conforme relatório atualizado pelo Painel de Monitoramento de Arboviroses do Ministério da Saúde nesta sexta-feira (10).

Em relação aos casos confirmados, já são 2.842.204.

O estado com o maior número de casos prováveis é Minas Gerais, contabilizando 1.339.508 registros, e a unidade federativa com mais óbitos, é São Paulo, com 668 mortes. Nos últimos 24 anos, esses números representam os mais elevados já registrados pelo Ministério da Saúde.

De acordo com especialistas ouvidos pela reportagem, os números de dengue podem aumentar nas próximas semanas no Rio Grande do Sul devido às enchentes que atingem o estado há quase duas semanas. A situação já contabiliza 141.213 casos prováveis e 128 mortes na região.

O quadro de dengue pode se intensificar após a água acumulada nas ruas das cidades baixar e se concentrar em determinadas áreas. O mosquito Aedes aegypti, transmissor do vírus, deposita seus ovos em água parada, que eclodem em condições de alta temperatura.

Entretanto, o infectologista consultado, Paulo Behar, destaca que, no momento, a preocupação com o possível aumento de casos de dengue é secundária. Ele sugere que a combinação entre as inundações e o clima ameno previsto para os próximos dias pode retardar a proliferação do mosquito.

Apesar dos números altos, os casos de dengue estão em queda em 21 estados e no Distrito Federal, de acordo com dados da pasta da Saúde.

A secretaria de Vigilância em Saúde e Ambiente, Ethel Maciel, vê uma redução significativa nos casos, ressaltando que 22 estados apresentam tendência de queda. Quatro estados —Ceará, Maranhão, Pará e Tocantins— mantêm estabilidade, enquanto apenas o Mato Grosso segue com tendência de alta.

DENGUE E AS MUDANÇAS CLIMÁTICAS

A pasta da Saúde também expressou preocupação com as projeções matemáticas do próximo ciclo de dengue. Pois, espera-se uma antecipação nos casos em 2025, atribuída ao aumento da temperatura e às ondas de calor.

Frente a essa situação, o Ministério da Saúde se planeja para promover novas conversações com os estados, municípios e demais autoridades de saúde, visando reforçar a mobilização e as medidas preventivas para o próximo ano.

Apesar de não haver certeza absoluta quanto à previsão, a secretária enfatiza a necessidade de o país estar pronto para um possível ciclo de dengue antecipado.


10 de maio de 2024
Saúde

Filho atualiza estado de saúde de Datena; confira

Foto: reprodução/Band

Joel Datena, filho de José Luiz Datena, atualizou o estado de saúde do pai nesta quinta-feira (9). O apresentador precisou ser submetido a uma cirurgia no aparelho digestivo no último dia 2 e apresentou um sangramento na região do períneo e voltou a ser operado no domingo (5).

À revista Quem Joel Datena disse que o pai está ótimo e que terá alta nesta sexta-feira (10). O apresentador está internado no Hospital Sírio – Libanês, em São Paulo.

Datena está afastado do “Brasil Urgente”, que comanda, na Band, desde o dia 29 de abril.


30 de abril de 2024
Brasil

Brasil ultrapassa 4 milhões de casos de dengue

O Brasil alcançou o número de 4.127.571 casos prováveis de dengue em 2024. A informação consta na mais recente atualização do Painel de Monitoramento das Arboviroses, abastecido com base em dados do Ministério da Saúde. No total, são 1.937 mortos pela doença.

Esta é a maior quantidade de óbitos confirmados desde o início da série histórica no país, em 2000. O número supera, inclusive, o recorde registrado em todo o ano de 2023 (1.094 mortes). Segundo o Ministério da Saúde, o alto volume de casos registrado neste ano tem relação com fatores como as mudanças climáticas e a circulação de mais de um sorotipo do vírus.

Em relação ao número de casos, 2024 (4.127.571) já supera os dois anos que haviam registrado maior quantidade de infectados, até então: 2015, com 1.688.688 diagnósticos, e 2023, com 1.641.278. São Paulo lidera o ranking de número de casos graves da doença (9.006), seguido por Minas Gerais (6.929) e Paraná (6.489).

Grave – A dengue é uma doença infecciosa transmitida pela picada do mosquito Aedes aegypti. Com maior incidência no verão, tem como principais sintomas: dores no corpo e febre alta. Considerada um grave problema de saúde pública no Brasil, a doença pode levar o paciente à morte.

O Aedes aegypti apresenta hábitos diurnos, pode ser encontrado em áreas urbanas e necessita de água parada para permitir que as larvas se desenvolvam e se tornem adultas, após a eclosão dos ovos, dentro de 10 dias.

A infecção dos humanos acontece apenas com a picada do mosquito fêmea. O Aedes aegypti transmite o vírus pela saliva ao se alimentar do sangue, necessário para que os ovos sejam produzidos.

Sintomas – Os primeiros sinais, geralmente, não são específicos. Eles surgem cerca de três dias após a picada do mosquito e podem incluir: febre alta, que geralmente dura de 2 a 7 dias, dor de cabeça, dores no corpo e nas articulações, fraqueza, dor atrás dos olhos, erupções cutâneas, náuseas e vômitos.

Nos quadros graves, os sintomas são: vômitos persistentes, dor abdominal intensa e contínua, ou dor quando o abdômen é tocado, perda de sensibilidade e movimentos, urina com sangue, sangramento de mucosas, tontura e queda de pressão, aumento do fígado e dos glóbulos vermelhos ou hemácias no sangue.

Nestes casos, os sintomas resultam em choque, que acontece quando um volume crítico de plasma sanguíneo é perdido. Os sinais desse estado são pele pegajosa, pulso rápido e fraco, agitação e diminuição da pressão.


29 de abril de 2024
Bahia

Polícia prende suspeito de invadir hospital em Brumado e matar rival

Por Washington Tiago

Um dos suspeitos de invadir o Hospital Municipal Professor Magalhães Neto (HMPMN), no final da manhã do domingo (28), foi preso. A Polícia Militar em diligência, prendeu Wanderson Oliveira próximo de um bar no bairro Dr. Juracy. 

Wanderson é suspeito de participar da invasão do hospital que culminou na morte de Felipe Batista Lobo, de 27 anos, que foi alvejado 23 vezes. A vítima chegou a ser entubada, mas não resistiu aos ferimentos e morreu. O suspeito tem passagem pela polícia por violência doméstica. A polícia também apresentou uma roupa semelhante a que foi usada no crime.

A vítima já tinha sofrido uma tentativa na madrugada de sábado (27), em sua residência e estava no hospital para retirar uma bala alojada no braço.

A invasão e o tiroteio ocorrido no hospital trouxe pânico geral, tanto para os pacientes, como acompanhantes e servidores da unidade hospitalar. Vários cartuchos de 9mm e .40 foram recolhidos pelo Departamento de Polícia Técnica (DPT).  


28 de abril de 2024
Brumado

Homens armados invadem hospital de Brumado e atiram mais de 15 vezes

Por Washington Tiago

Foto Washington Tiago/Sudoeste

Parece coisa de filme, mas foi o que aconteceu no final da manhã deste domingo (28), em Brumado. Um homem acompanhado de outro comparsa fingiu estar passando mal e deu entrada na unidade de emergência do Hospital Municipal Professor Magalhães Neto (HMPMN). Na realidade, a dupla queria terminar o serviço que começou na madrugada do último sábado (27).

De acordo com a polícia, dois homens invadiram uma residência e deram tiros em Felipe Batista Lobo, de 27 anos. A vítima foi alvejada e precisou ser internada para retirar a bala alojada no braço, quando, nesta manhã, os homens conseguiram entrar no hospital e terminar o serviço que começou.

Conforme a polícia, os indivíduos abordaram uma enfermeira e na mira de um revólver fez a mulher levá-los até o Raio X, onde estava Batista. Foram vários tiros e Lobo ainda chegou a ser entubado, mas não resistiu e acabou morrendo. 

Felipe já tinha sido preso numa operação que apreendeu um veículo roubado supostamente usado por uma facção criminosa para matar os adversários. A polícia foi acionada e fez uma varredura e prendeu um dos suspeitos.


24 de abril de 2024
Cidades

Bahia registra 10 mortes por ataques de escorpiões 

Por Washington Tiago

Em média foram regirados até esse momento 52 ataques de escorpiões e 10 pessoas morreram vítimas do animal na Bahia. O ferrão desse do escorpião possui um veneno que pode ser letal. 

No total, este ano, já foram registrados 5.325 casos de acidentes envolvendo escorpiões. Em 2023, foram mais de 23.100 casos, uma média de 63 por dia, 31 pessoas morreram. 

Os escorpiões geralmente se abrigam em locais onde há acúmulo de lixo e restos de material de construção, por exemplo. 

A cidade de Vitória da Conquista lidera o ranking de municípios com o maior número de acidentes. Desde janeiro já foram 145 casos seguido dos municípios de Irecê, com 111, Jequié com 108 e Feira de Santana com 72 também integram a lista das cidades com mais ocorrências.